agosto 20, 2016

Un país donde se considera que leer es una rareza padece una enfermedad social grave


Mi estancia aquí en la tierra no me la explico sin libros. Como tampoco me la explicaba sin fútbol mientras estaba en activo. A los unos y al otro he dedicado casi toda mi vida hasta el momento. La apertura de la biblioteca de mi pueblo, La Palma del Condado, fue crucial porque me mostró que la abundancia de libros en un mismo espacio era factible. Tuvo el encanto de una revelación aritmética. Un contraste emocionante porque en mi casa solo había una enciclopedia Larousse, Guerra y paz incompleto, libros de higiene corporal, un tocho titulado más o menos Un niño va a nacer y tres o cuatros tomos sobre mecánica. Muy poco más. Es decir, nada. Como era aún casi un niño aquel impacto, como decía, fue solo visual, pues mis intereses del momento no pasaban de Astérix. Pero quiero creer que allí en la sala de lectura, al lado de una ventana que daba a Ronda de los Legionarios, mientras oía los motores de los camiones Pegaso que por allí cruzaban, concebí la ilusión de tener algún día algo parecido a una biblioteca, uno de los lugares más queridos por mí.

(daqui por aqui).

julho 24, 2016

Da imbecilização do Ocidente


A mais recente eclosão da (des)humanidade em modo manada -  a chusma pokemon,  é o exemplo acabado disso. A ideia dum camião desembestado ou dum psicopata de machado ceifador perante este novo cenário insectomorfo, subitamente, deixou de constituir uma pura aberração criminosa. Dir-se-ia até que a vontade de massacrar que habita, sinistramente, nuns ganhou, numa espécie de génese ao espelho, uma correspondente e não menos macabra vontade de ser massacrado de outros. Lá que uma merece a outra, não me atrevo eu a negá-lo.

(daqui por aqui)

julho 17, 2016

Marx de cabeçeira



O grande problema, sublinha, é que “há uma insanidade nas novas formas de urbanização”, não só pela escala como pelo facto de as cidades ficarem cheias de casas vazias que são compradas sobretudo para fins de especulação e não para habitação. “Hoje, grande parte do capital está a concentrar-se no imobiliário e nas rendas." E, avisa Harvey, a agitação social começa a surgir cada vez mais ligada às questões da vida quotidiana nas cidades – como aconteceu no Brasil com os protestos que rebentaram em 2014, em parte por causa dos transportes públicos.

O Geógrafo David Harvey esteve recentemente em Portugal como orador convidado na conferência de abertura do IX Congresso Português de Sociologia, que decorreu na Universidade do Algarve. A não perder uma entrevista sua ao jornal Público: Aqui.

Hoje amanheceu assim

julho 09, 2016

O que diz Molero?


«Tirava a cera do ouvido com a unha do dedo mínimo da mão direita, depois metia a unha do polegar debaixo da unha do dedo mínimo, tirava de lá a cera, desfazia depois a cera entre o polegar e o indicador, massajando levemente, tinha o Rato Mickey tatuado no peito, estava sempre a dizer ao rapaz para se pôr em guarda, levanta essa guarda campeão(...)». 

Quando o crime compensa não é crime


Por bons serviços prestados, Barroso vai para o “banco que dirige o mundo”.

julho 03, 2016

Big Brother para incontinentes


À tona percebe-se uma alegria que apenas bruxuleia perto de uma câmara de televisão, na recepção de um autocarro, numa promoção de leve dois pelo preço de um. Nos estádios, faz pena aquele silêncio de quem mói um pensamento, de quem está  habituado a curvar-se ao destino, de quem não sabe a importância de um símbolo. O rebanho acardita naquilo como acardita no Big Brother para incontinentes. Tanto faz. Faltam apenas dois empates.

(sacado ao Cão)

julho 02, 2016

"Em 1860 o correcto era uma pessoa nascer em casa"


Depois foi tudo escuridão, e o seu branco berço e os rostos confusos que se moviam por cima dele, e o morno e doce aroma do leite acabaram por desaparecer da sua mente. 

"O estranho caso de Banjamin Button", F.S. Fitzgerald

Parabéns Sporting (01-07-1906)


Equipamentos para a nova temporada. 

junho 26, 2016

"Se alguma vez chegares a ler entenderás"*


Os Entes Queridos, quando se finam por suas mãos, em geral, não tiram as dentaduras. 

ou 

O sossego absoluto era mais impressionante que qualquer acto violento.

ou

O Sr. Slump tinha a barba por fazer; e não estava isento de embriaguez.

ou

Os cadáveres que vinham receber os cuidados de Aimée sorriam triunfalmente.

ou

Os soluços cessaram, e o silêncio resultante revelou a Dennis que processos intelectuais se desenvolviam na delicada cabeça à sombra da esquina. 


*frase título roubada a Ernest Dowson (poeta inglês do séc.XIX), conforme aparece no texto de Waugh. 

Mler ife Dada